segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

2016 o que você fez?

Eu não sou total fã de retrospectivas, mas gosto de lembrar o que passou.
A palavra que define meu ano de 2016 é: Montanha Russa!
Foram muitas descobertas, ganhos, perdas (doloridas), conquistas, muito choro, mas também risadas. Assim como todo ano é... mas a proporção desse foi maior.
O que contou nisso tudo foi como me percebi em outras verdades.
Um crescer pessoal em constante movimento, me despi de valores antigos pra nascer em outros, percebendo que nada na vida é firme, pois isso somos (sou) o caos.Viver é conquistar o caos.
Não sou estável, sou transformações.
Partindo disso, citarei o que mais me marcou em cada mês desse Tapa na cara que foi 2016!


Janeiro
"Começo da descoberta da Amanda em outras verdades".
O término do relacionamento estava longe de me ferir, e nesse mês estava saideira, rolêzeira, namoradeira, Inês Brasilzona (sendo que me ferrei com isso, que se arrastou ao ano inteiro). O lado bom é que tudo estava mais leve e me permiti a viver outras experiências. O meu brechó caminhava bem.

Fevereiro
"Continuava nos rolês e sofria por amor".
Começava ai uma das coisas que mais me ajudou a procurar outros caminhos pra não sofrer: O amor (que Uó isso)! Mas claro que não tinha essa percepção e só seguia a vida. Fui na exposição do Tim Burton, e eu e minha irmã andamos sozinhas em SP (haha boa taRde cidade gRande). O brechó continuava caminhando com altas fotos!

Março
"Comecei a escrever mais e mais".
Confusa, louca e menos rolezeira, comecei a escrever mais pra me perceber em meio as minhas ações. Sendo que voltei com o blog. Estava encontrando\conhecendo meu lado mais sexy também, isso foi bem legal, gerou altas fotos, meu cabelo vermelho me firmava que era isso que queria ser.
O brechó começa a se distanciar.

Abril
"Da-lhe textos, da-lhe conversas e café filosófico".
Conheci o Leandro Karnal e comecei a ler mais. E ainda sofrendo de amor haha minhas verdades começaram a se quebrar e estava muito mais perdida, mas tentava me encontrar. Teve circuito Cultural com o Circo Amarilho e só queria que me levassem embora com eles. Perdi meu celular, ajudou a ser menos viciada. O brechó distanciava mas não queríamos ver.

Maio
"Conheci Rubem Alves e Cecília Meireles".
Foi o auge da alegria, pois esses dois são meu favoritos (todo mundo sabe).
Textos, textos, choros, choros, textos, textos. Conheci mais amigos das artes eme  aproximei mais deles. Comecei a aprimorar meu desenho por conta do curso que estava (estou) fazendo em Cafécity.
Fui no show do Marcelo Jeneci, foi incrível!
O brechó caminhava na distancia. Algo em mim era tão forte, queria o ver crescer, mas as circunstâncias...

Junho
"Descobrindo outra Amanda".
Me percebi lutando por territórios por ser gananciosa. Mas nem tanto assim, pois na ação não percebia.Ainda sofria, escrevia e me reencontrava em tudo que lia ou assitia.
Conheci pessoas novas, coisas novas. Fui no Show da Maria Gadu de grátis ainda, fiquei tão anestesiada que não sabia aonde colocar a felicidade, cantei, dancei, pulei e ainda ganhei tchauzinho do Federico Puppi. Foi Uó!
E o brechó e a amizade que nele existia estava daquele jeito...

Julho
"Nem eu sei"
Esse foi tão parado e caído que só passou. A desenvoltura no desenho estava caminhando também.
Fiquei bêbada pela primeira vez na vida, foi lindo e no fim foi horrível,chorei e chorei.
Apesar dos pesares o brechó estava caminhando até que muito bem obrigada, a relação interna parecia ter algo não resolvido...

Agosto
"Escrever, ser, escrever"
Continuava nos textos e nos apesares. No desenho descobri a finalidade do lápis 4B e 6B e do amado esfuminho e consegui fazer meu primeiro homem realista, graças a aulas e treinos.(!!!) Fiquei total feliz, e desenhei bastante nesse mês.
O brechó ia bem...

Setembro
"O afastar"
Uma das parceiras desvinculou do 3 Marias Brechó e ficamos em três, eu, minha irmã e minha mãe.
Sentia\sinto que algo havia ficado entre nós, a principio percebemos que o brechó ganharia nova cara.
Foi ruim, pois criamos algo juntos, mas a vida segue...
Minha vida amorosa descia pela cano do esgoto e tudo o que eu acreditava, no conto de fadas também. Foi horrível! Eu não sabia mais de nada! No fim do mês foi melhorando.

Outubro
" Perda de um amigo querido e brechó com cara nova".
O falecimento do Adler deixou todo mundo sem chão, não se espera que alguém querido vá dessa vida assim, foi muito pesado esse choque. Hoje o lembro como uma lembrança doce, boa, fazendo questão de guardar seus traços deixados.
Como o brechó agora está em família e eu e minha irmã temos a visão bem semelhante e uma aceitação maior da outra, as coisas começaram a fluir muito bem obrigada. Até que veio a santa ajuda da uma amiga muito querida que nos cedeu o espaço do seu Sebo MIAO para fazermos uma lojinha juntas. Um brechó com um sebo, seria meu sonho?
A vida amorosa começava a se acertar aos trancos e barrancos. Continuava a descobertas em novas verdades e quebrar de conceitos. Cortei meu cabelo! Era o começo do adeus ao ruivo!

Novembro
"Erguer-se na dor!Fortalecer!"
O brechó se expandia mais, conhecemos pessoas queridas, altas fotos, altos processos de melhoria, e ainda caminhamos!
Melhorei desenho, a escrita, e o cantar (por incrível que pareça, mas ainda tenho tanta vergonha de cantar pros outros).
Cortei meu cabelo Joãozinho e me senti livre cada vez mais!

Dezembro
"PAPA ROACH!!!!"
Fui no show da minha banda mais amada desde os 13 anos, Papa Roach. Justo no dia em que o falecimento do Adler completava 2 meses, sendo que quando anunciou que a banda viria, ele que nos avisou! Senti uma ligação do universo... Foi uma das coisas mais incríveis que vivi, ver o Jacoby tão perto! Nunca gritei tanto ou pulei tanto na vida, teve uma hora que até achei que iria desmaiar ali mesmo!!!
Graças a um pedido de uma amiga, consegui fazer vendas de 2 desenhos meus em aquarela, feito em folha A3, tendo a foto escolhida por ela como referência. Aêêê!
O brechó caminha cada vez mais, continuamos encontrando amigos novos, pessoas queridas e abrangido aos passos que damos.
Com meu cabelo curto me encontro mais em uma Amanda diferente da do começo do ano, sinto-me mais precisa no que quero, e procuro cada vez mais não carregar os fardos da culpa e das cobranças.
Cada dia é diferente e cada qual uma nova sensação mas vou seguindo, e Ah! Teve mais frio esse ano. Eu adorooo!!

Acho que é isso!
Virada do ano só conta na contagem, são as vivências que me fazem mudar!
É isso!
Fuuuis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.